A sigla Aliança pelo Brasil, partido do presidente Jair Bolsonaro, foi lançado ontem em Brasília. O principal mentor, no entanto, foi o assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, ex-aluno de Olavo de Carvalho, o grande mentor da direita atual e que causa frisson na imprensa marrom.

Segundo a revista Crusoé, do grupo Antagonista, Felipe Martins teria criado todo o programa, além de dois artigos do estatuto do novo partido,  os artigos 2º e 12º, respectivamente.

O ato de lançamento da legenda aconteceu em um hotel no DF e com políticos e apoiadores do presidente, que lotaram o lugar. Ainda em fase de recolhimento de assinaturas, o novo partido irá ainda recolher assinaturas para o registro formal no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Sobre a saída do PSL e a criação da nova legenda, o presidente disse: “Agora, falo para vocês uma coisa da minha vida: fiquei 28 anos dentro do parlamento. Dois anos como vereador no Rio de Janeiro, 30 anos de vida pública, nunca tive um diretório municipal. Não pode, como está na cabeça de alguns, querer ter comando do partido no estado para negociar legenda. Isso não vai acontecer. Em parte, o problema que tivemos no partido que deixei há poucas horas foi essa questão: negociar legenda, vender tempo de televisão e fazer do partido um negócio”, afirmou Bolsonaro.

O número da sigla é 38 e faz alusão ao calibre de armamento, o que segundo Bolsonaro “é fácil de memorizar”.