Há 13 anos, em 2001, o economista britânico Jim O’Neill, que trabalhava à época como chefe de Pesquisas Econômicas Globais do banco Goldman Sachs, cunhou o termo Bric. Na época ainda não havia a entrada da África do Sul.

Na ocasião ele cunhou o termo para falar do crescimento das quatro economias emergentes, do Brasil, da Rússia, da Índia e da China. Durante o século 21, segundo o jornalista, esses países começaram a dividir o poder econômico global com o G7, grupo das economias mais ricas do mundo.

Em 2006, numa reunião de ministros das Relações Exteriores daqueles países em Nova York, o grupo formalizou o Brics. O primeiro aconteceu em Ecaterimburgo, na Rússia, em 2009. Na época, os presidentes dos países concordaram em um mecanismo de cooperação mútua entre os países.

No ano seguinte aconteceu a segunda cúpula, aqui no Brasil e o então presidente da África do Sul, Jacob Zuma, compareceu, juntando aquela economia aos países, virando Brics.