O deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), relator da Medida Provisória  889/2019 que criou as novas modalidades para os saques do FGTS, propôs aumentar a quantia para retirada. A medida funciona tanto para conta ativa, do atual emprego do empregado, quanto da inativa, ou seja,  de empregos passados. O valor passaria então de R$ 500 para R$ 998, valor equivalente a um salário mínimo.

Nos saques do FGTS, a MP do Dep. Hugo Motta ainda precisa ser aprovada pela comissão mista de deputados e senadores para passar a valer. Esta nova regra valeria então para todos os trabalhadores com valores até R$ 998 na conta vinculada ao FGTS até o dia 24 de julho, data a qual publicaram a MP.

Se aprovada a MP e sancionada pelo presidente da república Jair Bolsonaro, os que se encaixarem nos critérios do aumento mas que já sacaram os R$ 500 poderão sacar o que falta. Segundo o executivo, este aumento no FGTS poderia injetar até R$ 3 bilhões de reais na economia este ano.