O DOU do DF passou, em 2016, a ser totalmente digital. O jornal, antes em papel, custava cerca de R$ 2 milhões por ano, pois seus gastos incluíam a impressão, a diagramação e outros itens gráficos, por exemplo.

O subsecretário de Atos Oficiais da Casa Civil, Guilherme Hamu, falou sobre o DOU: “Hoje, nossos custos giram em torno de R$ 900 mil [por ano]. Não temos mais que fazer a distribuição em administrações regionais e outros órgãos públicos. Com isso, economizamos combustível, pessoal e tempo”, explicou. Além do mais, segundo ele, entre 2001 e 2016, já havia versão online sem validação oficial, que servia apenas para consulta. Com a oficialização, o documento gerou aumento de mais de 400% de visualizações.